Informações do mercado – Óleo e Gás

Desde informações importantes, previsões e dicas práticas, até licitações e exigências legais - saiba mais sobre o mercado brasileiro de Óleo e Gás aqui.

© Shutterstock

Nos últimos dois anos, o Brasil tem resolvido muitos problemas regulatórios complexos. O mercado brasileiro de óleo e gás está agora mais acessível às empresas estrangeiras:

  • Abolição da exclusividade legal da petroleira estatal Petrobras no pré-sal
  • Estabelecimento de um calendário fixo para as rodadas de leilões
  • Introdução de regras de conteúdo local simplificadas e realistas

O ambiente tributário também melhorou. Os novos investimentos estrangeiros de importantes atores mundiais, incluindo empresas petrolíferas alemãs, como a Wintershall Dea, foram atraídos especialmente através da renovação do regime aduaneiro Repetro.

Em função das mudanças regulatórias e da grande disponibilidade de recursos de óleo e gás, especialmente na região do Rio de Janeiro, o Brasil foi capaz de se transformar em um novo polo de desenvolvimento e investimento. As últimas rodadas de leilões são testemunho desta evolução positiva.

De acordo com as informações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mais de 57 bilhões de reais (aproximadamente 13 bilhões de euros) foram investidos no mercado de óleo e gás em 2017 e a previsão é de que a média anual entre os anos de 2018 e 2021 ultrapasse 72 bilhões de reais (aproximadamente 17 bilhões de euros).

Previsão do mercado

Números recentes já mostram o quanto o Brasil progrediu após essa melhoria regulatória com a prospecção e exploração da área do Pré-Sal e com os investimentos na indústria de óleo e gás. Em pouco mais de um ano, seis rodadas de leilões sob o regime de concessão e participação na produção levantaram aproximadamente US$ 7 bilhões.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a ANP, estima que esses leilões investirão aproximadamente US$ 112 bilhões no mercado. A produção interna deverá assim aumentar para 2,5 milhões de barris por dia (bpd).

Rio de Janeiro – Núcleo da indústria brasileira de Óleo e Gás

Apenas o estado do Rio de Janeiro representou 70% de petróleo e 50% de gás natural da exploração nacional.

Segunda a diretora da área de Petróleo, Gás e a Indústria Marítima da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), até 2023 está prevista a construção de 16 sistemas de produção offshore e o lançamento de mais de 14 projetos de produção offshore.

Rodadas de licitações agendadas para 2019, 2020 e 2021

A ANP anunciou informações sobre as próximas rodadas de licitações nos próximos anos.

Na 16ª Rodada de Licitações, que ocorre em outubro de 2019, serão ofertados trinta e seis blocos nas bacias sedimentares marítimas de Pernambuco-Paraíba, Jacuípe, Camamu-Almada, Campos e Santos, totalizando 29,3 mil km² de área."

Para a 17ª Rodada, previsto para 2020, deverão ser selecionados blocos das Bacias Marítimas do Pará-Maranhão, de Pelotas e Potiguar, de águas ultraprofundas fora do polígono do Pré-sal das Bacias de Campos  e de Santos.

Além disso, para a 18ª Rodada previsto para 2021, deverão ser selecionados blocos das Bacias do Ceará e de Pelotas e de águas ultraprofundas fora do polígono do Pré-sal da Bacia do Espírito Santo.

A 6ª Rodada de Licitações de Partilha de Produção, na qual serão ofertados os blocos denominados Aram, Bumerangue, Cruzeiro do Sul, Sudoeste de Sagitário e Norte de Brava, ocorrerá no dia 7 de Novembro de 2019. Nesse regime, a empresa petrolífera estatal brasileira Petrobras tem direitos preferenciais legais para todas as áreas oferecidas no leilão.

O leilão do petróleo excedente da área de cessão onerosa do pré-sal, acontecerá no dia 06 de novembro, no qual serão leiloadas as áreas de Atapu, Búzios, Itapu e Sépia, na Bacia de Santos, com área de 1.358 km². Firmado pela Petrobras e a União em 2010, o contrato de cessão onerosa garantia à estatal explorar 5 bilhões de barris de petróleo em áreas do pré-sal pelo prazo de 40 anos.

rodadas.anp.gov.br

Empresas alemãs do setor de óleo e gás no Brasil

Em 2018, a empresa alemã de óleo mineral Wintershall Dea adquiriu sete licenças de exploração no litoral nordeste brasileiro e na Bacia de Campos/Santos.

Assim, a Wintershall Dea explorou com sucesso a recuperação do mercado brasileiro de óleo para expandir ainda mais seus negócios no Brasil.

Durante viagem de negócios à Alemanha, em março de 2019, o Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, reuniu-se com executivos da empresa alemã de petróleo. Valerie Bosse, vice-presidente da Global Exploration & New Ventures of Wintershall Dea, anunciou que a empresa começará a explorar os campos de petróleo no Brasil até o final de 2019

As empresas MAN Energy Solutions, Vulkan, LESER e Protego são também algumas das empresas alemãs que operam com sucesso no setor de óleo e gás brasileiro.

Relatórios de mercado de instituições brasileiras relevantes

IBP (Instituto Brasileiro de Óleo, Gás e Biocombustível)

EPE (Empresa de Pesquisa Energética)

ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis)

FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro)