A Abertra do Mercado de Gás Natural

Em 2019, o mercado de gás natural brasileiro passou por uma importante transformação - saiba mais sobre a abertura do mercado de gás natural.

© FreeImages

O monopólio que a Petrobras tem exercido sobre a cadeia produtiva do gás natural no Brasil e uma estrutura regulatória desincentivadora havia levado à estagnação competitiva e a preços pouco competitivos no mercado de gás natural internacional.

No primeiro trimestre de 2019, no entanto, o Brasil deu os primeiros passos para a abertura do mercado de gás natural. As mudanças regulatórias e o plano de desinvestimento da Petrobras estão trazendo uma contribuição decisiva para essa importante mudança.

A Nota Conjunta "Rumo ao novo mercado de Gás", deu início à abertura do novo mercado de gás brasileiro, apresentando as medidas tomadas em junho pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) para promover a modernização e o crescimento consistente do mercado de gás natural no Brasil.

Estima-se que as descobertas significativas de gás natural nas bacias do pré-sal de Campos, Santos e Sergipe possam dobrar a produção de gás natural nos próximos oito anos. Além disso, a adaptação do quadro regulamentar e da legislação deverá permitir novas oportunidades de negócio em toda a cadeia de produção de gás natural, bem como a abertura do mercado aos investidores estrangeiros.

Gás Natural Offshore de Campos do Pré-Sal

O ajuste do marco regulatório no setor de exploração e produção já levou aos primeiros resultados positivos de tal abertura de mercado, com o retorno ao Brasil de algumas das principais empresas petrolíferas mundiais, bem como de novas empresas internacionais antes não presentes nesse mercado no Brasil. A oferta de gás natural relacionada à exploração dos campos do pré-sal poderá, assim, ser expandida pelas 30 empresas já instaladas no alto-mar brasileiro.

Gás Natural Onshore

Além do potencial do mercado de gás natural no setor offshore, o Brasil também possui grandes oportunidades ainda inexploradas na produção de gás natural onshore, as quais interessam especialmente a pequenas e médias empresas. Enquanto à oferta de gás offshore possui a tendência de ser majoritariamente utilizada pelos estados do litoral, o gás natural terrestre (onshore) pode não só contribuir para aumentar a oferta de gás natural no restante do Brasil, mas impulsionar o desenvolvimento econômico do país.

Neste cenário, a fim de expandir a evolução do setor do gás natural a toda a cadeia de produção, prevê-se a concessão de acesso às empresas privadas às infraestruturas de eletricidade e de em um curto espaço de tempo. Esta mobilização, além de se destinar a empresas operaradoras de ativos, prestar serviços na parte de escoamento, processamento, regaseificação e transporte de gás natural, existirá por parte dos atuais e potenciais novos consumidores do segmento industrial.

Estudo de Caso na Indústria Fertilizantes Nitrogenados

O Estudo de Caso na Indústria Fertilizantes Nitrogenados, é o primeiro de uma série de estudos de casos técnicos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Os estudos visam avaliar o potencial de possíveis novas estruturas industriais que trabalhem de forma intensiva com o gás natural.

Neste contexto, a oferta crescente de gás natural conduziria a preços competitivos, o que torna os investimentos em indústrias com utilização intensiva desta fonte mais atraentes, incluindo a produção de fertilizantes nitrogenados.

De acordo com o estudo, o potencial ganho com a variação do preço do gás natural, entre 4 e 7 USD/MMBTU, indica a possível entrada de 4 novas plantas na indústria de fertilizantes nitrogenados, além das que se encontram atualmente em construção.

Além disso, a exploração deste potencial reduziria a dependência externa da ureia dos atuais 75% para 10% em 2034.

Confira no Informe técnico completo em: Download

Terminais de Regaseificação de GNL no Brasil - Panorama dos Principais Projetos

De acordo com a EPE, a maioria dos projetos termoelétricos bem sucedidos nos recentes leilões de energia possui em seu modelo de negócio uma usina termelétrica a gás natural combinada com terminais de GNL. Essa alternativa não só tem se demonstrado como uma das mais competitivas para novas aquisições de energia, mas também culmina no aumento dos projetos de terminais de GNL para fornecimento de gás natural a usinas termelétricas na região litorânea do Brasil, contribuindo para uma gama maior de oferta de gás natural para o mercado.

Confira o documento completo sobre os principais projetos de terminais de regaseificação de GNL na costa brasileira: Download